• NOTÍCIA

  • 18/ago/2018

O crescimento do setor pet incentivou a marca Perigot a abrir seu 1º Centro Técnico

O espaço formará profissionais com cursos básicos e também profissionalizantes.

PetGuide | Notícias
© Divulgação

Os números do setor provam o aquecimento do mercado tanto em vendas de produtos quanto em mão de obra especializada. Foi essa reação que levou a empresa Perigot, fabricante de caminhas, cosméticos, roupinhas e toda parte de perfumaria para pets, a investir na sua 1º Escola de Banho e Tosa, que oferece cursos para formar Banhista e Tosador Trainee, Tosador Sênior, Especialização em Pelagem Lisa, Especialização em Raças Diversas, Tosa Asiática, Preparação para Competição e muito mais. A escola já formou diversos profissionais, e conta com professores renomados e com grande experiência em competições e exposições.

A Perigot acredita que o mercado está exigente e os consumidores querem profissionais habilitados para cuidar de seus bichinhos, mesmo que seja por poucas horas. "A nossa Escola forma mais que banhistas e tosadores, formamos profissionais capazes de identificar até mesmo problemas como doenças de pele, inflamações no ouvido, ou outros sintomas, que algumas vezes passam despercebidos pelos donos", explica o diretor da empresa Giuseppe Ilario.

Do outro lado o consumidor quer receber seu pet cheiroso, com um corte bacana, ou até mesmo mais ousado, ou seja, muito bem tratado. "O profissional precisa saber o melhor tipo de cosmético para cada tipo de pelo, para cada raça, os produtos adequados para filhotes, se pode ou não aplicar perfume etc. Já foi a época que qualquer pessoa podia fazer esse trabalho, bastava gostar de animais. Hoje, além de amar os animais, ele precisa fazer tudo com muita responsabilidade e conhecimento, porque um produto errado ou uma técnica mal aplicada pode prejudicar o bichinho e o bom humor do seu tutor", finaliza Ilario.

Dados do setor

A indústria pet brasileira foi responsável por um faturamento de mais de R$ 18,9 bilhões em 2016, crescimento de 4,9% sobre 2015 e terceiro lugar absoluto no mercado mundial, atrás apenas dos Estados Unidos e Reino Unido. As exportações movimentaram US$ FOB 236,3 milhões em 2016, contra cerca de US$ FOB 6,7 milhões de importações. Todas essas informações são do Instituto Pet Brasil, que ainda ressalta a posição do país no ranking mundial. Hoje o Brasil é o quarto país no ranking de população de animais de estimação no mundo, com 132,4 milhões de pets. Esse contingente movimenta um setor que, em 2016, chegou a ocupar 0,37% do PIB nacional, número superior àqueles dos componentes elétricos e eletrônicos e automação industrial.

Entre os segmentos da indústria para animais de estimação, Pet Food continua a ser o maior, com 67,3% do faturamento. Em seguida, estão os segmentos de serviços, como banho e tosa, com 16,8%; Pet Care (equipamentos, acessórios e produtos de beleza) no terceiro lugar, com 8,1% e Pet Vet (produtos veterinários) em quarto lugar, com 7,8%. De acordo com a entidade, o faturamento de Pet Food aumentou 4,9% entre 2015 e 2016. Já Pet Care subiu 5,5% entre esses dois anos, e Pet Vet (produtos veterinários), 6,7%.

No Brasil, há mais de 132 milhões de animais estimação, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Calcula-se que os lares brasileiros possuam mais de 52 milhões de cães, 38 milhões de aves, 22 milhões de felinos e 18 milhões de peixes.

Esse mercado emprega hoje, segundo o Instituto Pet Brasil, 1 milhão de pessoas, em todo país, e existe espaço para crescer. E, segundo a Junta Comercial de São Paulo (Jucesp), em 2016 houve um crescimento de 80% na abertura de empresas desse segmento, no Estado de São Paulo, pulou de 721 para 1298 estabelecimentos.


Facebook

Twitter