• NOTÍCIA

  • 14/jul/2017

Médico veterinário da Zoetis fala sobre mitos e verdades da leucemia felina

Segundo o especialista, a doença é grave e não tem cura, e seus sintomas silenciosos podem ocultar o problema.

A leucemia felina é uma doença infecciosa que enfraquece o sistema imunológico do animal, deixando-o mais exposto a outras enfermidades e infecções que podem ser fatais. Conhecida também pela sigla FeLV (vírus da leucemia felina), a leucemia é causada por um vírus que possui a capacidade de predispor o animal a desenvolver tumores (leucemia ou linfomas) ou doenças degenerativas.

Uma de suas características é ser uma doença incurável, porém silenciosa. Em muitos casos, ela acomete os bichanos sem apresentar sintomas iniciais. Por este motivo, a prevenção é extremamente importante para garantir a saúde do animal.

Conheça alguns mitos e verdades sobre a doença, listados pelo médico veterinário e Gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis, Alexandre Merlo:

Cães também podem se infectar?
Não, nem cães nem humanos. A transmissão ocorre somente entre gatos por meio do contato, principalmente com a troca de secreções corporais como saliva, lágrima, urina e fezes. A principal forma de passar o vírus é por meio das lambeduras entre animais que vivem juntos. O vírus também pode ser transmitido durante a amamentação.

Meu gato está perdendo peso. Ele pode estar com FeLV?
Apesar de muitos bichanos não apresentarem ou demorarem para mostrar sintomas da doença, a perda de peso pode ser um deles. Depressão, falta de apetite e diarreia podem ser vistos, entre outros.

Mesmo sem sintomas, meu gato pode estar infectado?
Sim. O felino pode viver anos sem apresentar sintoma algum dependendo do subtipo de vírus presente no animal e de sua condição imunológica.

Se meu gato não apresenta sinais da doença, como descobrir se ele é portador do vírus?
A leucemia felina pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue realizados em clínicas veterinárias.

Meu gato já tem FeLV. Ele também deve ser imunizado?
Não. A vacina Fel-O-Vax LV-k IV + Calicivax (quíntupla felina) da Zoetis é indicada apenas para animais que não possuem a doença. Ela previne que um bichano saudável se infecte com o vírus. Antes de fazer a vacinação, é importante fazer o teste para saber se o animal já é portador da doença. No caso de um felino já infectado, a vacina não servirá para tratá-lo.

Se a FeLV não tem cura, a vida de um gato infectado é mais curta?
O vírus que causa a doença mexe com o sistema imunológico do animal, além de poder causar anemia e predispô-lo a desenvolver tumores. Infelizmente, um gato infectado pode, sim, viver menos.

A recomendação final do Gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis, Alexandre Merlo, é que o felino portador do vírus visite regularmente um veterinário. "A FeLV não tem um tratamento específico, o animal é tratado conforme os sintomas aparecem. Por isso, o mais indicado é que os gatos saudáveis sejam regularmente vacinados para que não corram o risco de contrair a doença".

Sobre a Zoetis

A Zoetis é uma companhia global líder em saúde animal, dedicada aos clientes e seus respectivos negócios. Com um legado de mais de 60 anos de história, a Zoetis descobre, desenvolve, fabrica e comercializa vacinas e medicamentos veterinários, complementados por linhas de produtos para diagnósticos, testes genéticos e diversos serviços. A Zoetis trabalha continuamente com veterinários, produtores e pessoas que criam e cuidam de animais de produção e de companhia em mais de 100 países, com cerca de 9 mil funcionários. Em 2016, obteve faturamento de 4,9 bilhões de dólares.


Facebook

Twitter